Pages

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Parcimônia

Do Wikipédia:

 um conceito de frugalidade, economia ou precaução ao chegar a uma hipótese ou curso de ação. Seu significado pode ser traduzido por "menos é melhor". Trata-se de um princípio geral que tem aplicações desde a ciência até a filosofia e em todos os campos relacionados a elas."

Em ciência, ainda do Wikipédia:

"Parcimônia é a preferência pela explicação mais simples para uma observação. Esta geralmente é considerada a melhor maneira de julgar as hipóteses."

O Banco Central utilizou a palavra parcimônia para tratar sobre o esforço adicional de política monetária. Diante do significado e conceito da palavra, claramente, a sinalização é de redução praticamente imediata do ritmo do aperto monetário iniciado na reunião anterior.

Algumas questões surgiram com o comunicado, seria esse novo ciclo de aperto apenas um "esforço adicional" ao primeiro, iniciado em abril/2013? Indicando assim, e sobretudo pelo uso da "parcimônia", que uma nova alta de 0,50% ou duas de 0,25% seriam suficientes. Ou que esse ciclo será mais parcimonioso que os anteriores?

Na minha opinião o ciclo deveria ter começado antes, só não começou por causa das eleições. Além disso, 11,75%, 12,00%, 12,50% não vai fazer nem cócegas nas expectativas de inflação, é necessário que o BC leve para alto em torno de 13% e o mais rápido possível, o custo vai ser menor e a possibilidade de antecipar o afrouxamento em 2016 será maior.

A impressão é que o BC brasileiro não tem nunca a intenção de deixar claro seus próximos passos, na verdade ele sempre deixa em aberto, posso fazer X mas não reclame se eu fizer Y. Enquanto isso, nós ficamos quebrando a cabeça para entender o que eles querem dizer.

BC parcimonioso esse nosso, mais do que parcimonioso....puta BC bundão.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Viúvas do mata-mata...

Sempre que temos jogos como os da noite de ontem em competições mata-mata já volta o burburinho das viúvas do mata-mata no brasileirão. O único motivo seria um eventual aumento da emoção, seria a única razão para a volta de tal sistema para o campeonato brasileiro. Isso em detrimento de justiça, mérito, planejamento e eficiência.

Em detrimento do mérito e da justiça, pois um time que foi mais eficaz e teve mais aproveitamento é o grande merecedor do título e das vagas nas competições sul americanas.

Em detrimento do planejamento, pois o mata-mata permitia que times formados em cima da hora chegassem longe por causa de um dia melhor. O caso do Santos em 2002 é emblemático nesse sentido.

Em detrimento da eficiência, pois no início de outubro com os 8 times classificados, 60% da divisão de elite do futebol nacional ficaria parada. Sim, 3 meses sem futebol para esses times, sem a receita da bilheteria.

Alguns usam o argumento de que os estádios lotariam. Mas só lotam para os times que passam, que seriam 8 (caso dos campeonatos mais recentes que utilizavam mata-mata), e seriam por no máximo 3 jogos para os times que chegam na final. Sendo que no sistema de pontos corridos, tanto os times que disputam a parte de cima, quanto os times que lutam para não cair têm um aumento grande de público nas últimas rodadas, sendo até mais que apenas 3 jogos para 2 times. Mais da metade do campeonato tem aumento de público nas ultimas 5 ou 6 rodadas.

Portanto viúvas, se contentem com o pontos corridos, ele é melhor para o futebol que o mata-mata. O mata-mata não vai melhorar nosso futebol. O caminho não é esse. A volta do mata-mata é um retrocesso. Se contentem com o fato de que no Brasil nós chegamos nas últimas rodadas com uma porrada de times com chance de ir a libertadores e outra porrada lutando contra o rebaixamento. Para o mata-mata existem os campeonatos regionais, e as copas, do Brasil, Libertadores e Sul Americana., tá de bom tamanho....

Obs: Se alguém conseguir um sistema viável que seja capaz de manter a eficiência dos pontos corridos e evitar que times fiquem tanto tempo parados, talvez eu mude minha opinião.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Outro dado jogado para depois das eleições...

O que todo mundo já esperava, o estudo do IPEA, adiado para depois das eleições, trouxe a informação de que pela primeira vez desde 2003 o número de pessoas na miséria aumentou de um ano para o outro.

O pior de tudo isso é que a tendência não é nada boa...

http://dinheiropublico.blogfolha.uol.com.br/2014/11/05/pela-primeira-vez-dados-oficiais-apontam-que-miseria-parou-de-cair/

Tá melhorando Foo Fighters...

Congregation> The Feast and The Famine>Something From Nothing



terça-feira, 28 de outubro de 2014

Dilma, o BC e a Fazenda...

Passado o primeiro desastre para a economia, ou seja, a confirmação de mais 4 anos sob o governo Dilma, vamos as primeiras especulações. Diziam que Dilma iria anunciar com rapidez os novos ministros relacionados à política econômica em uma tentativa de acalmar os mercados. Os primeiros sinais já são de que ela não fará isso, ou seja, ela realmente não tinha nomes confirmados.

Os mercados ontem parecem ter dado o recado, abriram em queda de 7% (Bovespa) e o dólar subindo algo em torno de 4%. Quando começou a surgir um boato de que o presidente do Bradesco poderia assumir a pasta as coisas melhoraram, o fechamento foi de -2,77% para a bovespa e +2,6 do dólar.

Em seu primeiro mandato Dilma quis ser presidente do Brasil, do Banco Central e ministra da Fazenda, meteu os pés pelas mãos e ainda derrubou as reputações muito boas até então de Tombini e Mantega.

A questão é saber se os nomes de confiança do mercado ventilados vão se sujeitar aos caprichos da presidente, e se ela vai se sujeitar aos caprichos deles...

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Ninguém quer ser campeão brasileiro...Só o Cruzeiro

São Paulo perde a quarta chance de encostar no líder Cruzeiro, Inter já perdeu várias também, Fluminense quando parecia que ia encostar caiu muito e só está recuperando agora, o Santos chegou a esboçar alguma coisa e perdeu pontos bobos, o Corinthians não passa confiança mas parece estar crescendo na hora certa pra garantir alguma coisa, e por fim o Atlético Mineiro ganhou, ganhou, ganhou, quando teve a chance de chegar perto... empate contra um dos times de baixo...

Desse jeito o título cai no colo da raposa mesmo empatando com o fraco Palmeiras em casa...

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Nova música do Foo Fighters...

Estava ansioso pelo novo CD deles. A história que eles estão prometendo contar e toda a capacidade de fazer músicas cada vez melhores que o Dave Grohl tem.

Se for falar como fã, a música está perfeita, mesmo porque sempre vai estar, desde as mais velhas até as que eles nem fizeram ainda.

Se for para analisar friamente, foi até um certo ponto decepcionante.

O começo é praticamente o mesmo de Skin and Bones, não que isso seja ruim, longe disso, mas pela espera fica aquela sensação de "já ouvi isso antes". O riff passa a mesma sensação, um amigo meu e uns comentários no youtube se atentaram para o riff de Holy Diver do Dio.

Uma análise melhor da letra fica para outra hora. Não diminuiu em nada minha vontade de ouvir o CD inteiro, talvez até aumentou...

Mas a primeira sensação que fica é que de novo, pouco há. O que não é de todo ruim...

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Que comam ovos...

A frase "Se o povo não tem pão, que coma brioches" foi falsamente atribuída à Maria Antonieta lá pelo final dos anos 1700, mas ficou tão famosa como tendo saído da boca dela que poucos sabem que ela muito provavelmente nunca disse tais palavras.

Eis que em 2014, um dos brilhantes economistas do Governo praticamente faz uma paródia da situação. Márcio Holland, secretário de política econômica do Ministério da Fazenda, disse ao comentar o relevante aumento do preço da carne observado no IPCA de setembro que o povo deveria substituir a carne por frango e/ou ovos.

Alguém precisa avisar o secretário de duas coisas.

Primeira. O preço da carne já vem apresentando alta faz tempo, e o povo que infelizmente não consegue comprar carne já trocou por frango, no mínimo, desde abril e maio deste ano em que o acumulado em 12 meses do preço de carne alcançou alta em torno de 15%. Inclusive o preço de aves e ovos pode estar sendo pressionado por esse aumento de demanda adicional.

Segunda. A forma com que o IPCA é calculado, usando uma metodologia conhecida como Laspeyres modificado, não capta efeito substituição. Generalizando, o cálculo assume que o aumento de preços do bem naquele mês, sendo relativamente maior que a média dos outros, significa aumento do consumo e leva aquele bem a ter seu peso aumentado na cesta do IPCA.

Portanto, brilhante secretário, a alta da carne em nada tem a ver com o período de entressafra ao qual o senhor se referiu, a não ser que esse período esteja ocorrendo desde setembro do ano passado. Em nada adianta também a população deixar de comer carne para comer frangos ou ovos, essa está longe de ser a solução, além de não ser nenhuma novidade para os que ficam contando cada centavo dos seus gastos nos supermercados.

Já que nem Maria Antonieta seria capaz de dizer tal asneira, o nosso secretário decidiu se encarregar do feito...

Não sei porque isso me lembrou da propaganda do PT. Aquela dos banqueiros. A comida sumindo da mesa. Parece que não tem nada a ver com independência do BC não é?

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O PT, o PSDB e o bolo...

Num tempo já bem longínquo, um indivíduo responsável pela economia brasileira na ditadura disse "É preciso fazer o bolo crescer para, depois, reparti-lo". Alguns dizem que naquela época nem o bolo cresceu tanto assim, e que pior nunca fora dividido, mas a discussão do post não é essa.

A impressão que passa, em certos momentos, é que os partidos políticos brasileiros parecem tão diferentes que chegam a ser quase iguais. Quando oposição são contra tudo, quando situação se voltam para políticas extremamente parecidas.

Num cenário desse é importante olhar a tal polarização PT x PSDB tão falada ultimamente. Um claramente declarado de esquerda, outro tem em seu nome a tal Social Democracia, que ideologicamente se aproxima muito mais da esquerda do que da direita da qual o partido é comumente identificado. Ou seja, eles deveriam compartilhar das mesmas ideias, e na verdade até compartilham.

A principal diferença dos dois está puramente em termos econômicos. A agenda social petista é colocada com um fim necessário, tudo deve ser feito para que ela seja cumprida, até mesmo colocar as contas do país em risco. Já os "sociais democratas" acham que se a economia não estiver ajustada a agenda social não pode ser cumprida, mas quando estabilizam a economia também não são capazes de evoluir na questão social, parece que travam e não sabem o que fazer.

Então, a tal polarização parece ser mais um ciclo, que no caso brasileiro pode até ser eficiente.

Relembrando o nosso personagem do primeiro parágrafo, o PSDB é o padeiro, prepara o bolo, coloca no forno, o bolo cresce, ele tira do forno, olha, não sabe bem o que fazer, dá uma enfeitada no bolo, admira o bolo. O PT pega o bolo e sai distribuindo, vende, dá o bolo, empresta, dá mais bolo, tenta fazer mais bolo com aquele mesmo bolo, acha que tem mais bolo do que tem.

O problema é que parece que hoje o bolo acabou e o padeiro talvez tenha que fazer outro...

domingo, 5 de outubro de 2014

Aposta para o resultado do primeiro turno.

Baseado nas últimas pesquisas do Ibope e Datafolha e nas últimas eleições imagino que o resultado (votos válidos) hoje apresente:

Dilma com 43,76%, Aécio com 29,67% e Marina com 22,12%.